A Estatística ao Longo da História – Parte II

George Box, um garoto que aos 16 anos largou a escola para ser assistente de um químico em uma usina de esgoto, também foi um dos que se tornaram estatísticos acidentalmente. Tudo começou quando, por ser assistente químico foi chamado a Porton Down, um parque científico, onde fez parte dos estudos acerca dos efeitos dos venenos, como o gás de mostarda.
Ele tinha tido contato com um livro de um grande estatístico da época, Ronald Fisher, e mesmo tendo dificuldade em compreender todas as ideias propostas no livro, teve a ciência de que para o sucesso do experimento era necessário um estatístico. Ao expor isso aos seus superiores, eles alegaram que ele deveria ser capaz de fazer, uma vez que tinha lido o livro. Foi aí que ele entrou em contato com o Fisher para que ele o ajudasse e assim conseguiram realizar os experimentos.
Depois da Segunda Guerra Mundial, George Box se formou em matemática e estatística, também recebeu PhD da Universidade de Londres. Ele foi responsável pela publicação dos livros “Statistics for Experimenters”, “An Accidental Statistician”, entre outros. Sem contar, ser conhecido por diversos testes estatísticos em que foi um dos responsáveis pelo estudo.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da conversa?
Sinta-se a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *